Próximo encontro

No encontro de junho de 2018, o GEFAT vai continuar as sessões de leitura e debate do livro Sobre a História do Estilo Cinematográfico, do teórico norte-americano David Bordwell, um dos expoentes do pensamento neoformalista no âmbito dos estudos cinematográficos.

O livro é a base da estilística proposta por Bordwell como prática de análise acadêmica de filmes.

No dia 14 de junho, falaremos sobre os capítulos 4 e 5 do livro.

Quando: 14 de junho
Onde: UFG, Sala 202, Centro de Aulas D, Setor Universitário
Que horas: 18 horas - 21 horas
Livro: Clique aqui


 

O formalismo é uma escola de pensamento cujo princípio básico é a ideia de que os objetos artísticos devem ser apreciados, avaliados ou compreendidos por meio do conceito de forma.

O objetivo do Grupo de Estudos Forma, Arte e Tecnologia da Universidade Federal de Goiás é estudar a tradição formalista, desde os autores originais até os mais recentes, a fim de  sistematizar contribuições para essa linha de pensamento em trabalhos acadêmicos originais, produzidos desde os interesses e parcerias dos membros do grupo.

O GEFAT foi criado em setembro de 2016, sob coordenação do Prof. Rodrigo Cássio Oliveira. Os encontros ocorrem periodicamente e são abertos a todos os interessados.

Conheça o projeto que deu origem ao grupo

 

Encontros anteriores

20/04/2018 Media Lab UFG
Tema: Arte Virtual em Oliver Grau
Textos: Arte Virtual: da ilusão à imersão, de Oliver Grau, e Sobre a organização do Saber e Poética dos Dados, de Marcilon Almeida
 

08/12/2017 Media Lab UFG
Tema: Narrativas de Séries de TV
Texto: A Complexidade Narrativa na Televisão Americana Contemporânea, de Jason Mittell
 

17/11/2017 Media Lab UFG
Tema: Camille Paglia e a História da Arte
Texto: Introdução e capítulos sobre Jackson Pollock, Andy Warhol, Walter de Maria e George Lucas do livro Imagens Cintilantes: uma viagem através da arte desde o Egito até Star Wars
 

20/10/2017 Media Lab UFG
Tema: Eisenstein e o Formalismo
Texto: A Forma do Filme, de Sergei Eisenstein


18/08/2017 Media Lab UFG
Tema: Cinema e pós-cinema
Textos: A querela dos dispositivos, de Raymond Bellour e Mas afinal, o que sobrou do cinema?, de Fernão Ramos


28/03/2017 Centro Cultural UFG
Tema: Neoformalismo como método
Texto: Análise fílmica neoformalista como método de ruptura da armadura de cristal, de Kristin Thompson


10/03/2017 Media Lab/UFG
Tema: Frank Sibley e os conceitos estéticos
Texto: Conceitos estéticos, de Frank Sibley (Tradução de Vítor Guerreiro)


18/11/2016 Media Lab/UFG
Tema: Formalismo e neoformalismo
Texto: Arte e Forma, de Noël Carroll


26/10/2016 Media Lab/UFG
Tema: Clement Greenberg, forma e gosto
Textos: Queixas de um crítico de arte e A necessidade do formalismo, publicados na coletânea Clement Greenberg e o Debate Crítico, e O juizo estético, Pode o gosto ser objetivo? e Convenção e Inovação, publicados em Estética Doméstica


11/10/2016 Sala 40 (FIC/UFG)
Tema: Formalismo clássico
Textos: What is art? (The Aesthetic Hypothesis), primeiro capítulo do livro Art, de Clive Bell
Arte e vida, Um ensaio de estética e A visão do artista (capítulos de Visão e Forma, de Roger Fry)
Teoria do cinema e filosofia, de Richard Allen e Murray Smith


29/09/2016 Media Lab/UFG
Primeira reunião do GEFAT
Fundação do grupo

 

Memória

Maio de 2018 na Livraria Palavrear: Franco, Tamires, Victor Hugo, Cássio, Lucas, Natália, Rodrigo Cássio, Michely, Karine, Fabrício, Thalita e Amanda no primeiro encontro sobre o livro Sobre a História do Estilo Cinematográfico de David Bordwell

Abril de 2018: Marcilon Almeida, Ana Carolina Cruz, Natália Dias, Ana Júlia Carrijo, Victor Hugo, Isadora Ribeiro Caetano e Rodrigo Cássio

Encontro de 18 de agosto de 2017: Fabrício, Ana Júlia, Vitória Cordeiro, Victor Hugo, Lucas, Carla Gullo e Rodrigo Cássio

Dezembro de 2017: Leandro, Victor Hugo, Lucas, Natália Santos e Rodrigo Cássio

Encontro de 26 de outubro de 2016: Rafael Freitas, Déborah Caroline, Rodrigo Cássio, Victor Hugo e Leandro Alves

Primeiro encontro do GEFAT em 29 de setembro de 2016: Rafael Freitas, Victor Vinícius, João Espíndola, Matheus Bolentine, Thaynara Souza, Victor Hugo e Rodrigo Cássio


Leituras relacionadas

BEARDSLEY, Monroe C. Aesthetics: problems in the philosophy of criticism. Indianapolis/Cabridge: Hackett Publishing Company, 1981.

BELL, Clive. What is art. In: ______. Art. (Cap. 1). <Disponível em: http://web.csulb.edu/~jvancamp/361r13.html> (1914).

BORDWELL, David; CARROL, Noël (Orgs.). Post-Theory: reconstructing film studies. Madison: University of Wisconsin Press, 1996.

BRADLEY, A. C. Poetry for Poetry’s Sake. In: VIVAS, Eliseo; KRIEGER, Murray (Orgs.). The Problems of Aesthetics. New York: Rinehart, 1953.

BURKE, Edmund. Uma Investigação Filosófica sobre a Origem de nossas Ideias do Sublime e do Belo. Tradução de Enid Abreu. Campinas: Editora da Unicamp. 2013. 

CARROLL, Noël. Danto’s New Definition of Art and the problem of Art Theories. In: British Journal of Aesthetics, v. 37, n. 4, 1997, 386-392. 

______. Philosophy of Art: a contemporary introduction. Londres/New York: Routledge, 1999.

DANTO, Arthur. Aprendendo a viver com o pluralismo. In: Revista-Valise, Porto Alegre, v. 1, n. 2, ano 1, dez. 2011, p. 147-61.

______. A Transfiguração do Lugar-Comum: uma filosofia da arte. Tradução de Vera Pereira. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

______. The Philosophical Disenfranchisement of Art. New York: Columbia University Press, 1986.

ELDRIDGE, Richard. An Introduction to the Philosophy of Art. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

______. Form and Content: an aesthetic theory of art. In: British Journal of Aesthetics, v. 25, n. 4, 1985.

FOCILLON, Henri. A vida das formas. Lisboa: Edições 70, 1988.

FRY, Roger. Visão e Forma. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

GREENBERG, Clement. A necessidade do formalismo. In: FERREIRA, Glória; MELLO, Cecilia Cotrim de (Orgs.). Clement Greenberg e o debate crítico. Rio de Janeiro: Funarte Jorge Zahar, 1997, p. 125-130.

 ______. Queixas de um crítico de arte. In: FERREIRA, Glória; MELLO, Cecilia Cotrim de (Orgs.). Clement Greenberg e o debate crítico. Rio de Janeiro: Funarte Jorge Zahar, 1997, p. 117-124.

______. Estética Doméstica: observações sobre a arte e o gosto. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

HUME, David. Of the Standard of Taste. In: ______. Essays moral, political, and literary. Indianapolis: Liberty Classics, 1987. 

ISENBERG, Arnold. Analytical Philosophy and the Study of Art. In: The Journal of Aesthetic and Art Criticism, v. 46, 1987, p. 125-136.

KANT, Immanuel. Crítica da Faculdade do Juízo. Tradução de Valério Rohden e António Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

KENNICK, William E. Does Traditional Aesthetic rest on a Mistake? In: Mind, v. 67, n. 267, 1958, p. 317-334.

KRAMER, Hilton. The Triumph of Modernism: the Art World, 1985-2005. Chicago: Ivan R. Dee, 2006.

MACHADO, Arlindo. Pré-cinemas e pós-cinemas. Campinas, Papirus, 1997. 

MANOVICH, Lev. The Language of New Media. Cambridge: MIT Press, 2001.

MITTELL, Jason. Complex TV: the poetics of contemporary television storytelling. New York: NYUP, 2015.

RAMOS, Fernão Pessoa. Teoria Contemporânea do Cinema. v. 1 e 2. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2005.

SIBLEY, Frank. Approach to Aesthetics: Collected Papers on Philosophical Aesthetics. New York: Oxford University Press, 2001.

THOMPSON, Kristin. Breaking the Glass Armor: Neoformalist Film Analysis. New Jersey: Princeton University Press, 1988. 

URMSON, J. O.; POLE, David. What Makes a Situations Aesthetic? In: Proceedings of the Aristoteling Society (Supplementary Volumes), v. 31, 1957, p. 75-106.

WALTON, Kendall. Categories of Art. In: ______. Marvelous Images: on values and the arts. (Cap. 11) New York: Oxford University Press, p. 1995-221.

WÖLFFLIN, Heinrich. Conceitos fundamentais da história da arte: o problema da evolução dos estilos na arte mais recente. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

WÖLFFLIN, Heinrich. Renascença e Barroco: estudo sobre a essência do estilo barroco e a sua origem na Itália. Tradução de Mary Amazonas Leite de Barros e Antonio Steffen. São Paulo: Perspectiva, 2010.  

ZANGWILL, Nick. Feasible Aesthetic Formalism. In: Noûs, v. 33, n. 4, 1999, p. 610-629.

______. In Defense of Moderate Aesthetic Formalism. In: The Philosophical Quartely, v. 50, n. 201, 2000, p. 476-493.  

______. The Metaphysics of Beauty. Ithaca/London: Cornell University Press, 2001.